.

Usar a crise para um novo momento de vida

A transformação comportamental em momentos de crise como a que o País passa atualmente exige que o líder quebre seus próprios paradigmas, invista no autoconhecimento e conheça seus limites. “Saber o momento de parar e mudar a direção é um aprendizado positivo que resulta de um momento de dificuldade”, explicou Lisiane Szeckir, palestrante do Bom Dia Associado, promovido nesta quinta-feira, 22/2, pela Associação Comercial de Porto Alegre.    

Especialista em transformação comportamental, Lisiane trabalha com o conceito Revolução Amorosa, construído a partir de vivências pessoais e do trabalho que desenvolve como facilitadora licenciada do método “Heal Your Life”, de Louise Hay, entre outros.

Segundo ela, a Revolução Amorosa não fala do amor a dois, mas de crises. “De momentos que mudam uma vida toda. Do que pode mudar a partir de agora. Em tempos de crise, seja ela pessoal, moral, política ou econômica, é provável que cada um de nós precise de uma pequena revolução em nossas vidas. A união das sabedorias internas e externas, onde todo o conhecimento é aproveitado.”

Ser mais resiliente e menos resignado na busca de inovação. Lisiane sugere que as pessoas se questionem sobre as inovações implantadas em suas vidas ou empresas no último ano. “Não precisa ser uma mudança radical. As vezes, somente a troca na forma de responder seus e-mails aos clientes faz a diferença.”

Ela ressalta a importância de valorizar as pessoas, pois são elas que produzem os resultados das empresas. “Acredito que em todas as reuniões estratégicas o representante da área de Recursos Humanos deveria participar. Na maioria das vezes, isso não acontece porque o profissional tem medo de falar e afrontar a chefia.”

Para Lisiane, o momento desafiador não deve ser empecilho para seguir adiante. “Muitas vezes, a pessoa se sente sozinha nesta caminhada. No entanto, logo adiante vai acabar encontrando sua turma lá no alto da montanha.”