.

Presidente da Associação Comercial participada abertura da China Lac em Punta del Este

O presidente da Associação Comercial de Porto Alegre Paulo Afonso Pereira participou nesta sexta-feira, 1/12, da abertura da 11ª Cúpula de negócio China LAC, na cidade uruguaia de Punta del Este. Com a presença de mais de 2.500 empresários, a China, América Latina e o Caribe buscarão aprofundar suas relações através do comércio, investimento e cooperação governamental.

Pereira ressaltou que a China tornou-se o principal parceiro das economias da América Latina e o Rio Grande do Sul deve participar cada vez mais de simpósios e feiras de negócios como a China Lac. “Mantivemos contato com entidades como a Câmara del Asia, de Buenos Aires, Câmara Brasil-China, Agência de Promoção de Exportações e Investimentos Uruguai 21, Agência Argentina de Investimentos e Comércio Internacional, entre outras.”

O aprofundamento das relações entre América Latina e China foi um dos principais objetivos destacados pelo presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), o colombiano Luis Alberto Moreno, na sessão de abertura da cúpula, em que os empreendedores participantes realizarão mais de 1.000 reuniões de trabalho.

Moreno sublinhou que o aumento da participação na feira empresarial China LAC desde a sua primeira edição, realizada no Chile com 400 participantes, e a atual, mostra o crescimento experimentado pelo comércio entre a China e a América Latina e o Caribe, que se multiplicou entre 2000 e 2016, atingindo hoje US$ 216 bilhões. Sua projeção para 2025 é que os negócios cheguem a US$ 500 bilhões.
“Em menos de uma geração, a China passou de quase nenhum contato com a nossa região para se tornar nosso segundo parceiro comercial, e já é o primeiro parceiro comercial do Brasil, Chile, Peru e Uruguai. Essas trocas continuarão crescendo à medida que nossas sociedades prosperarem “, disse Moreno.
O presidente do BID, instituição por trás da organização das cúpulas da China LAC, ressaltou ainda que o relacionamento com a China não se limita apenas ao comércio. A região latino-americana recebeu em 2016 mais de US$ 13 bilhões de dólares em investimentos, em atividades indústrias primárias e extrativas, mas também manufatura e serviços.

Ele enfatizou que a China está se preparando para se tornar a grande economia global e defendeu que a América Latina invista em inovação, desenvolvimento e promoção do capital humano para o futuro.
Por sua vez, o vice-presidente da Conferência Consultiva Popular da China, Ma Peihua, indicou que este evento se concentra na promoção da complementaridade recíproca entre a China e a América Latina e o Caribe na busca de “benefício mútuo e vantagens compartilhadas”. Para ele, a América Latina é um destino importante para os investimentos chineses, em setores como energia, mineração e infraestrutura, mas também em outros setores como finanças, agricultura, serviços, fabricação, comércio eletrônico ou transporte aéreo”, disse.

Finalmente, presidente do Uruguai Tabaré Vázquez agradeceu a confiança depositada no Uruguai como organizador do evento, que para ele será um “ganha-ganha” para todos os envolvidos. “A China ocupa um lugar central no futuro da nossa região, um futuro que será construído a partir do presente e em conjunto. Do presente porque também o futuro pode ser modelado e, entre todos, porque nenhum país, por mais grande que seja, tem seu destino na solidão “, afirmou o presidente uruguaio.

A cúpula empresarial China LAC, que acontece até este sábado no Centro de Convenções Punta del Este, num espaço de 5.600 metros quadrados com 150 estandes de empresas e países participantes. O evento inclui sessões plenárias, sessões paralelas, bem como visitas técnicas, todas as atividades que se concentrarão em cinco temas: infraestrutura; segurança alimentar e agronegócios, logística e energia renovável, comércio eletrônico e cidades e serviços globais.