.

Entidades unem esforços contra a informalidade

O comércio ilegal movimentou em 2016 algo em torno de R$ 983 bilhões, equivalente a 16% do PIB. Na busca de somar esforços no combate à sonegação a Comissão de Combate à Informalidade da entidade da Fecomércio-RS (CCI), da qual a Associação Comércio de Porto Alegre faz parte, já esteve em 25 municípios polo, buscando a ampliação da iniciativa.

Nessa semana, a reunião aconteceu no Palácio do Comércio, sede da Associação Comercial, “para intensificar o combate à informalidade que causa tantos prejuízos aos empresários legalmente estabelecidos”, conforme o vice-presidente da ACPA, Raul Cohen, representante da entidade na CCI. A principal pauta discutida na reunião foram as ações estratégicas que a Prefeitura de Porto Alegre vem fazendo para coibir o comércio irregular na Capital.

A Comissão vem estudando uma parceria que abrange a sociedade civil, organizada e o poder público afim de coibir em âmbito municipal e estadual o comércio informal. Segundo os representantes da prefeitura, o órgão já vem agindo com inteligência para tentar frear a informalidade em conjunto com a Brigada Militar, Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Polícia Federal, entre outros agentes públicos.

Participaram da reunião o vice-presidente da Fecomércio-RS e coordenador da CCI, André Roncatto, vice-coordenador da CCI, Daniel Amadio, o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Leandro de Lemos, o guarda municipal, Glauber Silvestre Zílio, que estava representando a Secretaria Municipal de Segurança, o presidente do Sindilojas Porto Alegre, Paulo Kruse, entre outros integrantes da CCI.